Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Gazeta do Repórter

Informar e acompanhar a cultura, desporto e reportagens. Dar voz a quem não a tem e dar destaque a quem merece ser destacado!

Xana Abreu "Xana Toc-Toc" Uma grande Lição de Vida"

28.02.21 | Rogério Rosa

dino.jpgNo passado Sábado, no programa"Alta Definição" da Sic, a convidada foi Xana Abreu, conhecida como "Xana Toc-Toc", por ter sido descoberta na pele de "dinossauro", no programa"A Máscara", também da Sic.

A história de Vida de quem lá vai, é sempre mais incrível que outra. Mas, esta, que a própria Xana ali testemunhou, é no minimo inacreditável. Sofrida, com pai ausente, avançou nos muitos projetos com crianças, acabou por criar a sua mascote a "Xana Toc-Toc". Cresceu sem manifestações de carinho e amor, aquele, que qualquer filho gostaria de ouvir muitas vezes de sua mãe e pai. No final, quer ela, quer a mãe, tiveram cancro. A mãe faleceu e a Xana, mantem-se serena, com esperança, fé e muito sucesso na música. No entanto, foi com a sua personagem, que vestiu no programa"A Máscara", revelou-se mais e, teve a chance de dar o seu testemunho, não só como viveu a experiência, mas, como tem sido o passado e presente da sua vida pessoal e profissional.

Foi emocionante o seu testemunho e é isto, que faz das pessoas grandes.

Eu, desde que fui para a faculdade e para a Licenciatura em Serviço Social, que tenho estado mais em contacto com pessoas com uma grandes histórias de vida. Ensinamentos, que nos transmitem e ao mesmo tempo, motivadoras. Mostram que é possível dar a volta, de voltarem a sorrir. Fazem das fraquezas forças e vão em frente em vez de se acharem coitadinhas ou pior ainda, terem pena de si próprias. Foi isso mesmo, que a Xana nos mostrou em todo o seu testemunho, sobre o qual senti uma enorme admiração por ela!Pode ser um desenho animado de 1 pessoa e texto

#FiquemEmcasa

 

 

A Valentina, o inacreditável desprezo do pai!

19.02.21 | Rogério Rosa

Valentina era entregue a ama para mãe viver romance

Valentina, foi encontrada morta este domingo, 10 de maio. O pai e a madrasta foram detidos e tornaram-se nos principais suspeitos do crime. Portugueses não perdoam e pedem justiça.Valentina, de 9 anos, foi encontrada mostra este domingo, 10 de maio, após estar desaparecida desde a manhã de quinta-feira. O pai, Sandro Bernardo, e a madrasta, Márcia Bernardo, foram detidos após confessarem onde estava o corpo e tornaram-se nos principais suspeitos pela morte de menina.

Segundo avança o Correio da Manhã, há suspeita de que o pai terá asfixiado a filha na banheira, na presença da mulher. Portugal ficou em choque com esta morte trágica e exige justiça.

Os populares manifestaram a revolta nas redes sociais e não pouparam os insultos ao casal. Nas páginas de Facebook de Sandro e de Márcia é possível ver várias mensagens com insultos. «Monstros», «Assassinos», «Vermes», «Nojentos» e «Seres repugnantes» são apenas algumas das mensagens deixadas.

«Como é que foram capazes de fazer este macabro assassinato?»

Os portugueses exigem que seja feita justiça. «Como é que foram capaz de fazer este macabro assassinato?», «Tiraram a vida a uma inocente e deixaram mais três sem o amparo que uma mãe e um pai devem dar, seres sem amor ao próximo. Que se faça justiça », lê-se.

Pode ler alguns comentários em baixo:

«Gostava de ter palavras para vos dizer… Mas hoje deixaram um país perplexo! Que a pobre Valentina descanse em paz… Pois será um anjinho lá no céu, agora vocês… Que ardam no fogo do inferno!! Que na cadeia saibam o que fizeram e vos façam sofrer todos os dias da vossa mísera Vida!!! Pai???? Nem te vou dar nome de animais pk nem isso mereces, vou-te só chamar CALHAU COM OLHOS!»

«Monstros!! Assassinos!!! Abutres!!! Quem vos disse que tinham o direito de tirar a vida a alguém? Uma criança indefesa ? Inocente? Deves te ter achado muito forte seu cobarde ! Monstros !!!!!!!»

«Só espero que a justiça seja feita ,e que vocês os dois tenham a paga que merecem dentro da prisão.
Matar um próprio filho !!! És um animal»

«Vais encontrar a paz, vais … mas quando acabar a tortura que vais passar! Tu e essa p… que colaborou na morte desse anjinho! VALENTINA …encontraste o eterno descanso mais ninguém te fará mal amor… a justiça dos homens não funciona mas a de Deus vai funcionar»

Pai tinha dado o alerta do desaparecimento à polícia

Valentina tinha sido dada como desaparecida quinta-feira, 7 de maio, pela manhã, na Atouguia da Baleia, em Peniche. O pai havia dado o alerta à polícia, explicando que não tinha encontrado a menina no quarto quando acordou. Na mesma casa residia também a madrasta e dois irmãos.

O corpo da menina de 9 anos foi encontrado na manhã deste domingo, 10 de maio, camuflado,  no pinhal da Praia D’el Rei.

Os pais de Valentina tinham a guarda partilhada da menina. Valentina estava a passar uma temporada com o progenitor. Este sábado, nas redes sociais, a mãe voltou a fazer uma publicação na página do Facebook, dando mostras de estar destroçada sem saber o paradeiro da filha. «Mais um dia a acabar mais horas que parecem não ter fim… Meu amor meu anjo minha vida onde estás tu? Oh meu Deus traz-me a minha filha de volta para os meus braços…. Por favor estamos desesperados.. volta pra nós por favor», escreveu Sónia Fonseca.

Texto: Joana Dantas Rebelo, Fotos: Redes Sociais - Revista Maria.

Sobre este artigo que veio nos Órgãos de Comunicação Social, não me apraz dizer grande coisa. É tão maquiavélico, tão penoso, como indescritível. A frieza, a coragem e o desequilibiu mental, que só alguém tem capacidade de o demonstrar. 

Imaginar numa sala de tribunal, com um colectivo de Juízes, a ouvir as descrições a sangue frio, a seco e sem mostrar arrependimento dos contornos macabros de um pai, que confessou ter espancado, queimado e já morta, tendo agunizado 12 h no sofá, pegar nela e levá-la para a mata e deixá-la lá, depois ir descansado á sua vida, é aterrador! A mente humana, é capaz de tudo até matar. Todos nascenm com essa capacidade, mas olhar esta situação, é desumano e preverso. 

Procuramos nas palavras para perceber o motivo, que não tem razão de ser, nem sequer justificação, coloca em todos nós, uma certa paralização das mesmas, porque não se sabe o que dizer nem o que pensar.

Os portugueses estão chocados. Portugal ficou sem chão, mas não há prisão perpétua para casos como este ou como casos semelhantes, mas será que 25 anos de pena máxima, vão servir? Se ele não se suicidar ou não for violentamente espancado na prisão, bem como a sua cúmplice, pode ser que as coisas tenham alguma mudança comportamental. Quanto aos restantes filhos, que lhes sejam retirados e impedidos de os verem e lhes serem retirados os direitos parientais.

O imaginar já nos aterroriza, quanto mais viver a situação como viveram as crianças e o filho de 13 anos da madrasta. Este miúdo, nunca mais vai ser o mesmo!

Se isso fosse noutro país, como Iraque, Irão, Singapura, este casal seria punido com pena de morte ou pena de prisão pesada e ainda lhes davam um miminho de umas valentes chicotadas em praça pública para servir de exemplo aos outros o que lhes pode acontece, caso incorram no mesmo erro, mas em Portugal, apenas poderão passar 25 anos de cadeia.

Nunca esquecer pessoas como Diana Fialho, que junto com o marido Yuri Mata, mataram a mãe adotiva de Diana á martelada e depois queimaram-na. Rosa Grilo com o seu amante António Joaquim, mataram o Luis Grilo, atleta marido da Rosa e por fim, Maria Malveiro e Mariana, a enfermeira, que no Algarve, mataram um rapaz de 21 anos e o cortaram ás postas e o roubaram depois disso.

Não há palavras por mais que se fique preplexo!

#FiqueEmcasa

 

Como superei a Covid sem apoio familiar?

06.02.21 | Rogério Rosa

lixa.jpg

Quando não se tem uma família que nos mereça, já estamos acostumados, a não contar. Não deixa de ser triste, mas acabamos com o tempo por nos conformar. Não adianta criticar ou nos revoltarmos, porque isso não trás o amor deles e nem sabem o que isso é. Habituei-me a ser eu, a lutar e a ter muitas portas fechadas e algumas janelas abertas.  O Importante, é continuar o que sempre fiz e se faço. Não ter o apoio de família, não deixa de ser triste e não deixa de ter marcas na personalidade em quanto pessoa. Isso muitas vezes reflecte na vida pessoal e profissional. Nunca ter tido quem nos desse uma palavra de apreço, que estivesse feliz por nós, que quisesse saber sobre os nossos sonhos, desejos, aspirações, sem olhar para nós com indiferença, sobre o que se vai fazendo, quer como escuteiro, quer como ator. Como ator, com que me estreei no colégio aos 13 anos e públicamente na Academia de Santo Amaro, aos 19, nem um familiar nas estreias!

O tempo foi passando e continuando a fazer o meu caminho e sem ter ou sequer conseguir, o interesse da familia. Entretanto, chega a peste de nome Covid. Este vírus, vem transformar o mundo e virá-lo de pernas para o ar. Está a causar uma desgraça mundial, milhares de mortos e de infetados. Uma onda de desempregado á escala mundial.

O comportamento das pessoas, sobretudo jovens, tem sido de uma grande irresponsabilidade. Festas clandestinas, muita gente nas ruas, sem máscaras e uma despreocupação, que impressiona. Já ninguém parece ligar ao fique em casa. Depois, vem o slogan infantilizado "Vai ficar tudo bem" ou "Vamos ficar bem". Obviamente, que não vamos ficar nada bem e não vai ficar nada bem, com tantos infetados diários e cada vez mais mortes. Muitos ignorantes, pensam que nada lhes acontece, até lhes bater á porta. 

 Eu mesmo, apesar de ter todo o cuidado, nunca achei que só acontecia aos outros. No entanto sem esperar, apanhei Covid. Com a doença Covid, o que mais podia eu fazer se não ficar em casa. Para a minha saúde mental, escrevi no meu blog e frequentei cursos online. De salientar, que estava a ensaiar uma peça no Auditório Carlos Paredes com encenação de Benjamim Falcão. Parámos e nunca mais voltámos a ensaiar mais nada. Agora neste 2º confinamento e Estado de Emergência, cuja 3a vaga veio carregar mais ainda a desgraça.

Sem apoio familiar e apenas, uma pessoa da familia teve algum cuidado em querer saber se tinha sintomas ou não e, se disponibilizou para o caso de precisar de compras, porque na minha casa, além de mim, outra pessoa tinha também convid. Superou-se com a tv, livros, a escrita e com o estar atento a sinais, que pudessem aparecer. Vigiados pela Médica de Família,  Dra. Rita Sebastião e do Dr. Elmano, a quem presto as mais sinceras homenagens. Gente da Linha da Frente, capaz de irem além das suas capacidades físicas e mentais e do pouco respeito. que muitos ainda têm pelos profissionais de saúde em não ficarem em casa.

Hoje, é uma angústia ver nas nossas televisões, os hospitais cheios e uma fila interminável de ambulâncias á porta dos hospitais e como se não bastasse, os agentes funerários não têm tido mãos a medir. Caixões lacrados, sem poderem ser abertos e sem as suas famílias se poderem  despedir e fazerem o seu luto.

A família, é o pilar de qualquer pessoa e de fato parece que, as coisas correm melhor e há um conforto. Triste são as pessoas, que morrem sozinhas ou que por vezes, são levadas ás urgências para os Cuidados Intensivos e muitas vezes, é o único momento de despedida. A mim, depois de relatos de Médicos sobre o horror que se passa dentro dos hospitais, como é possível, que jovens e menos jovens continuem a fazerem de conta, que isto não é perigoso, que é tudo tretas, politica e num desrespeito pelos profissionais de saúde, que ainda exaustos, não viram costas, pelo contrário, estão lá para salvar vidas.

Toda a gente está a sofrer pelas perdas, pelo desemprego, por estarem fechadas em casa, mas se isso for o resultado de termos a nossa vida de volta, soframos então um pouco mais, mas nunca se perca a Fé, a esperança e desejar que dias melhores hão-de vir.

A minha quarentena continua feita de escrita, de livros de formações online e de televisão, para descansar a vista que é pouca.

#fiquememcasa