Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Gazeta do Repórter

Informar e acompanhar a cultura, desporto e reportagens. Dar voz a quem não a tem e dar destaque a quem merece ser destacado!

"Não há mal que sempre Dure, nem bem que não Acabe"

02.12.20 | Rogério Rosa

escuteiro.jpg

 

Não há bem que sempre dure e

Mal que não Acabe”



Concurso Literário Professora Rosinda de Oliveira

4º Escalão



Num agrupamento de escuteiros, há sempre espirito de equipa. Dividido em 4 secções em todas elas, um espirito de união, família e vontade de aprender.

A história que é relatada, trata-se de um agrupamento. O agrupamento 007 de Lisboa, cujo chefe principal se chamada Paulo Mickey.

Todos têm vida para além do escutìsmo, mas é nele que reside a descontração, a aprendizagem e ensinar aos mais novos, espirito de equipa, famíliae da patrulha, semore em prol do bem estar e de valores, que devem ser mantidos.

Paulo para além do agrupamento, tinha uma família que o apoiava em tudo, apesar de algumas ausências de casa, eram depois compansadas. Recebia jovens de vários estratos sociais.

Na 1a secção-Lobitos, as crianças entram a partir dos 6 anos até aos 9 anos. Depois, fazem a promessa e os votos de passagem para a 2a secção-Exploradores e assim sucessivamente.

Na 4a secção-Caminheiros, a vida por vezes surpreende pela negativa. Alguns jovens com graves carências afectivas, refugiam-se no escutísmo, onde encontram o que lhes falta, amor!

Este agrupamento vai realizarem breve um acampamento de Verão. As 4 secções iam finalmente partilhar um espaço em conjunto.

Cada chefe de secção implementa uma grelha de atividades, jogos, reuniºoes de secção e uma final, chamada Fogo de Conselho,

O Fogo de Conselho é no fundo a reunião de todas as secções. Nele há cantigas, sckets e informações gerais, que passa por despedida de alguns do agrupamento e de mudanças de outros nas secções.

A chegada ao parque de campismo, todos inquietos para começarem a aventura.

Cada secção tinha o seu espaço bem definido para que todos pudessem armar as tendas.

A aventura maior era para os mais pequenos. A 1a secção-Lobitos. Tinha de haver um cuidado mais redobrado. A saída deles sem os pais, os choros, saudades, etc.

A 2a secção-Exploradores, iam ficar num dos pontos essenciais do parque de campismo. Armaram as tendas e depois iam ter com os chefes. Iam reunir para a distribuição de tarefas e escolherem as patrulhas para as atividades.

A 1a atividade consistia numa Caça ao Tesouro. Foram designados 5 elementos, sendo um deles, Guia e a atividade teria de ser de noite.

Preparados com lanterna e bússola. Meteram-se pinhal a dentro. O Guia de Patrulha ia na frente e já bem distante dos chefes, algo de estranho a lanterna tinha focado. Cristiano Miguel, o guia, a medo foi-se aproximando e reparou tratar-se de um cadáver. Deu 2 passos atrás, correram e foram contar aos chefes o que tinham descoberto.

Cristiano, um dos chefes e 2 caminheiros foram até ao local do achado. Estupefactos, alertaram a Policia e os Bombeiros.

A noite estava longe de terminar e o aparato começava a formar-se. Já todo o agrupamento se juntava para assistirem à chegada da Policia e dos Bombeiros, mas não só. A cmtv, acabava de dar entrada também no parque de campismo, para fazerem a cobertura. O Repórter começa por entrevistar o chefe e o Cristiano que deu pelo achado e contou como tudo aconteceu.

Antes da remoção do cadáver, era preciso fazer perícias ao local, deligencias e questionar a Patrulha Conquistadores, autores do achado. Os miúdos foram afastados do local para que possam fazer a remoção do cadáver.

O resto da noite foi comentar o que acontecer acabando por adormecerem rodos.

O acampamento que iria ser uma festa, acaba numa aventura dramática e trágica.

O tempo que passaram juntos até àquela, foi muito bem vivida.

Regressaram mais cedo à sede.

Outra tragédia estava prestes a acontecer, desta feita com um escuteiro. Um pioneiro de 14 anos teve um grave acidente. A 3a secção-Pioneiros, de onde faz parte. A mesma está muito preocupada com a saúde dele.

O pior chegou, não aguentando os ferimentos e faleceu. A noticia caíu que nem uma bomba no agrupamento. Foi logo colocada a bandeira a meia-aste no agrupamento, bem como a bandeira do escutismo. Na igreja ao lado do agrupamento, ia ser feito o velório. Ele, o Pioneiro, vestido com o uniforme no caixão. Será feita uma vigília toda a noite pelo agrupamento. No funeral, muitos amigos, escuteiros e colegas de escola, que a mesma encerrou para estarem presentes.

O tempo foi passando e muitos meses depois, foram fazer um acantonamento a Fátima. Nele, iam participar numa peregrinação. Iam dormir numa casa destinada para o efeito. Todos levavam sacos cama, já que iam dormir todos no chão.

Na manha seguinte foram até ao Santuário e ali, assistiram à missa e onde ia começar a peregrinação. Uma multidão também ia na mesma e todos passaram pelas 14 estações, onde em cada uma deles, iam ouvindo excertos da bíblia e iam lembrando os nomes dos doentes e dos que já tinham partido. Aqui, era a altura de evocarem o nome do pioneiro, que faleceu devido ao acidente que sofrera.

Depois regressaram finalmente a casa.

O escutismo é isto! Partilha, amizade, familiaridade, entreajuda e amor ao próximo!.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

anúncios

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.